2 de fevereiro de 2017

MUDANÇAS: OS PREPARATIVOS DA GRUAIRPORT PARA O A380

 




Foi confirmado recentemente a operação do maior avião de passageiros do mundo, Airbus A380, para realizar voos diários para Guarulhos, em São Paulo, a partir do dia 26 de março.

Para isso o GRU Airport (Aeroporto Internacional de Guarulhos/SP) precisou passar por diversas reformas e atualizações para receber o grandão sem sofrer com gargalos e acabar estressando centenas de passageiros e também manter a segurança da aeronave.

O A380 tem capacidade para até 491 passageiros, para receber essa quantidade de pessoas, foi necessário ampliar a estrutura para os procedimentos de imigração, devolução de bagagens e fiscalização da Receita Federal.

Segundo o Diretor de operações do Aeroporto de Guarulhos, comandante Miguel Dau, informou que o maior desafio não é em relação a maior quantidade de passageiros, mas sim ao tamanho do avião.

“A maior dificuldade é em relação aos espaços de manobra e para as curvas, principalmente em virtude dos motores externos”, afirma. O A380 tem 72,7 metros de comprimento e 79,8 metros de envergadura (distância entre as pontas das asas).

Para que a operação do avião fosse realizada com segurança, as pistas de pouso e decolagem e de táxi tiveram que ser alargadas em 15 metros, passando de 45 metros para 60 metros de largura.

Essa mudança foi necessária, pois havia o risco dos motores mais próximos às pontas das asas passarem sobre a área da grama, assim sugando detritos para dentro dos motores.
Com essa mudança, os motores ficam dentro da área pavimentada.

Inversão de pistas:

O aeroporto de Guarulhos conta com duas pistas, uma com 3.000 metros de comprimento, é utilizada para os pousos, já a outra, com 3.700 metros, é utilizada para decolagens.

Para receber o gigante, será necessário inverter o modo de utilização das pistas, o A380 irá utilizar para pousos e decolagens, a pista destinada apenas para decolagens, com 3.700 metros. Como se trata apenas de um voo, a mudança não deve gerar impacto para o fluxo de tráfego aéreo, segundo o comandante Miguel Dau.

Embarque e Desembarque:



O Embarque e desembarque de passageiros será realizado no Terminal 3, que foi construído para a Copa do Mundo, para atender a demanda de voos Internacionais.

O A380 após o pouso, será direcionado para o portão 605, contará com dois fingers (passarelas migratórias entre aeronave e o terminal) o desembarque será efetuado pelo piso inferior do avião, sendo um finger na porta dianteira e a segunda na porta do meio, próximo as asas.

A expectativa é que todo o processo de desembarque demore entre 35 e 40 minutos até que o último dos 491 passageiros, seja desembarcado. Com o Boeing 777 utilizado atualmente, o tempo médio do desembarque é de 25 a 30 minutos.

Após a realizarem o processo de imigração, os passageiros serão direcionados para a devolução de bagagens, que será realizado na última esteira, a maior do aeroporto, com capacidade para mil malas por hora, localizada no final da sala. Cada passageiro tem direito a despachar até duas malas, caso o voo esteja lotado e todos levem duas bagagens, seriam 982 malas por voo.



Preparação do Avião: 


Após o desembarque, o A380 será deslocado para um pátio denominado “Remota” próximo ao terminal 3, onde ficará lá por quase 9 horas até que esteja pronto para decolar novamente para Dubai.

Durante este período será feito serviços de reabastecimento de combustível, limpeza da aeronave, retirada de esgoto, reposição de comidas e manutenções, caso necessário.

A Emirates informou que cerca de 70 a 80 funcionários deverão trabalhar diariamente para deixar tudo preparado até que a aeronave possa decolar de volta aos Emirados Árabes. Para o carregamento de bagagens por exemplo, serão utilizados oito tratores.

Lucro para a GRUAirport:

A presença diariamente do gigante A380 em Guarulhos, promete benefícios financeiros para a concessionária que administra o aeroporto. Isso porque serão mais passageiros desembarcando, sendo assim mais pagantes das taxas aeroportuárias, também beneficiando lojas, restaurantes e demais serviços.

O Aeroporto também será beneficiado com as taxas cobradas para pouso. Enquanto, o Boeing 777-300 tem uma taxa de pouso de cerca de R$ 8.000, os “Xeiques” terão que desembolsar R$ 13 mil para cada pouso.

A operação  deste tipo de aeronave, era esperada no ano passado. No entanto, devido a crise econômica fez com que os planos fossem adiados. A partir de agora, a expectativa é de que outras companhias comecem também a operar aeronaves deste porte nas rotas para São Paulo.

Nenhum comentário: