6 de julho de 2019

POR QUE É TÃO DIFÍCIL FORMAR PILOTOS DE AVIÃO E OU HELICÓPTERO?



Respeitados órgãos internacionais como a ICAO (Organização da Aviação Civil Internacional) têm expressado por meio de notas e estudos a preocupação com a possível falta de pilotos e profissionais para a aviação em um futuro bem próximo.

O órgão acredita que se não houver investimentos urgentes e significativos em desenvolvimento de recursos humanos para o setor, sofreremos um colapso na aviação e em muito pouco tempo não teremos pessoal suficiente para manter a demanda, afinal esse é um setor que não para de crescer

Em apenas 7 anos dobramos o número esse número de passageiros transportados em todo o mundo passamos de 4,1 bilhões de pessoas (dados da ATA – Associação Internacional de Transporte Aéreo). A estimativa para 2036 é que chegaremos a 7,8 bilhões.

Se as estatísticas de demanda por voos são extremante positivas para o setor mundial, por que então existe essa carência de profissionais no mercado?


POR QUE É TÃO DIFÍCIL FORMAR PILOTOS?


Essas e outras perguntas relacionadas a formação do piloto vamos tratar nesse post.



Empresas como a Emirates realiza pelo menos uma vez por ano, processo seletivo no Brasil, buscando tripulantes, ou seja, profissionais para atuarem como Piloto, Copiloto, e Comissários de Voo.


Os salários são muito acima do valor praticado no Brasil, o que atrai muito jovens para o processo seletivo, mas nem sempre a totalidade das vagas oferecidas são preenchidas. Isso porque falta pessoas que atendam aos requisitos exigidos pela empresa.

Do outro lado, outros tantos jovens sonham em pilotar uma aeronave de grande porte e ser piloto internacional. Mas esse sonho não está ao alcance de todos. 

Especialistas do setor afirmam que as principais razões para a falta de qualificação de pilotos são:


  • Os custos do treinamento teórico e prático (não há subsídios ou incentivos governamentais, o curso e horas de voo precisam ser pagos do próprio bolso, com valores equivalentes a um curso de medicina)
  • Os requisitos exigidos pela autoridade aeronáutica para as licenças de Piloto Comercial IFR e Piloto de Linha Aérea (licença médica, cursos teórico e prático em aeronaves diferentes o que demanda alto custo).
  • Os pré-requisitos para o extenuante processo seletivo de cias aéreas incluem:
    • Provas de conhecimentos técnicos com padrões internacionais;
    • 500 horas de voo (normalmente é mínimo exigido);
    • Inglês técnico (exigido ICAO 4 no mínimo);
    • Além do CMA (Certificado Médico Aeronáutico exigido para qualquer aeronauta), exames médicos suplementares bastantes exigentes, como testes para uso de drogas entre outros; e
    • Habilidades comportamentais como liderança, por exemplo.
    • Salários iniciais pouco atrativos


Para conhecer valores e as etapas para a formação de pilotos sugiro a leitura do post:  Quanto custa a formação de piloto de avião e de helicóptero?











Mas, quando falamos em escolher uma profissão, sabemos que tem muito mais a ver com vocação e paixão do que com investimento propriamente dito. Por isso, pessoas apaixonadas por aviação buscam contornar esse enorme desafio financeiro, procurando alternativas e formas de bancar sua formação sem se afastar da área.

Seja para galgar as escadas em busca das condições necessárias para a formação de pilotos, ou para suprir a carência do mercado, fato é que o setor tem um imenso leque de opções para pessoas que amam a aviação, querem estar próximas de um avião e ser remunerado por isso.

Listamos uma série de profissões onde é possível trabalhar na aviação, pertencendo ao setor, enquanto você se forma como piloto. Assunto para o próximo post. Você não pode perder!

Você acredita que faltará piloto e profissionais de aviação no futuro próximo?

Ou você acha que essas afirmações são sensacionalistas ou, no mínimo, exageradas?

Para o mercado brasileiro esses estudos se aplicam?

Comente.

Vou adorar conhecer sua opinião.


Até o próximo post.


Um comentário:

Sulivan Bolean disse...

Olá Edna.
Excelente artigo.
Sim. Creio que isso acontecerá. E, não há nada de sensacionalismo.