TOP 3 da semana!!

6 de julho de 2019

PRECISA-SE DE PILOTOS E PROFISSIONAIS DA AVIAÇÃO


ESTÁ FALTANDO PROFISSIONAIS NO SETOR.

Será um alarme sensacionalista ou uma real possibilidade?

Quantas pessoas que você conhece que é apaixonada pela aviação e gostariam de pilotar um avião comercial, viajar o mundo, conhecer culturas diferentes, enfim ser profissional desse fascinante mundo?

Muitas pessoas que adorariam ser pilotos e pertencer a esse mercado não conseguem se formar. Por quê? Esse é um fenômeno brasileiro ou mundial?

Por que será que órgãos sérios e respeitados internacionalmente como a ICAO (Organização da Aviação Civil Internacional) afirma que existe uma real possibilidade de muito brevemente faltar pilotos no mundo? Será mesmo possível?
Vamos entender os motivos que levam especialistas do setor concordarem com essa afirmação.
Em 2018 foram 103 milhões de passageiros que as empresas aéreas brasileiras transportaram em voos domésticos e internacionais. Um aumento significativo de 4,1% em relação ao ano anterior, segundo a ANAC.

E não é só no Brasil que esse fenômeno acontece. De acordo com dados do Banco Mundial 311 milhões pessoas viajavam de avião em 1970, em 2010 ultrapassamos a marca de 2,6 bilhões de pessoas, e, apenas 7 anos depois, em 2017 praticamente dobramos esse número: 4,1 bilhões de passageiros (dados da ATA – Associação Internacional de Transporte Aéreo). A estimativa para 2036 é que chegaremos a 7,8 bilhões.

Na China, de 2012 a 2017 dobrou a quantidade de pessoas que viajaram de avião, com um impressionante número de 549 milhões passageiros se deslocando nos céus. 



Essa alta demanda fez com que empresas aéreas ao redor do mundo enfrentasse sérios problemas com a falta de pessoal qualificado, principalmente pilotos.  Algumas empresas chegaram a cancelar voos por fala de tripulação.

Para driblar esse desequilíbrio a Emirates, por exemplo, faz processos seletivos em vários países, entre eles o Brasil, buscando completar seu quadro de pilotos, oferecendo salários tentadores em dólares, que convertidos passam de R$ 60.000,00 mensais, livres de impostos, além dos benefícios.

Empresas aéreas chinesas, por sua vez, oferecem salários equivalente a R$ 100.000/mês, livres de impostos e mesmo assim essas empresas encontram dificuldade em preencher seu quadro de profissionais.

No Japão a solução encontrada pelas empresas aéreas foi alterar o limite de idade como forma de atrasar a aposentadoria de pilotos experientes, passando para 67 anos em 2015. Vale também outras táticas como buscar profissionais em outras companhias, outros países, oferecendo salário mais atrativos, benefícios etc.

Para se ter uma ideia do quanto essa escassez de piloto nos afeta, durante os incêndios na Califórnia em 2018, 20% da frota de aviões Tankers (aviões usados como extintores de incêndios) da agência Cal Fire não decolou por falta de profissionais para pilotá-los.


A expectativa de que não haverá profissionais suficientes para suprir a demanda aciona uma luz de emergência na ICAO (Organização da Aviação Civil Internacional) afirmando que serão necessários cerca de 620 mil novos profissionais para pilotar aviões comerciais nos próximos 15 a 20 anos e cerca de 80% desses profissionais nem se quer estão voando hoje.

O órgão acredita que há uma necessidade urgente de investimentos significativos em desenvolvimento de recursos humanos para garantir que tenham pilotos, controladores de voo e outros profissionais necessários para manter o setor funcionando, de maneira tal, que possa atender a demanda.

Se as estatísticas de demanda por voos são extremante positivas para o setor mundial, por que então existe essa carência de profissionais no mercado?


Será que falta incentivo para o setor?

Essas e outras perguntas relacionadas a formação do piloto vamos tratar no próximo post.

Você não pode perder.

Até lá.



7 comentários:

Anônimo disse...

O grande problema é o tamanho das exigências e por vezes o caminho para chegar numa seleção, por exemplo.
Hoje não basta mais ter PC/MLTE/IFR e ICAO4, estão pedindo carteira tipo, experiência em 121 ou 135.
A aviação no Brasil passou por um período de estagnação. Agora estamos vendo um crescimento novamente, porém, o caminho para que consigamos chegar a um seleção é duro e muitas vezes inacessível para quem não conhece alguém ou tem uma indicação.
Espero que esse cenário realmente modifique pq temos profissionais excelentes que não tem oportunidade e poderiam agregar grande valor à companhia ou táxi aéreo.

Anônimo disse...

A historia é muito bonita e bem conhecida por nós, porem tenho um ponto de vista diferente. Gostaria de ressaltar que é meu ponto de vista e não tenho intenção de ofender a ninguém.
Quantos profissionais estão na área prontos e não surge nenhuma oportunidade?
Minha vida como prova! Tendo todos os pré-requisitos da linha aérea e acima dos mínimos esperado para a aviação executiva, faltam oportunidades. As "oportunidades" que vemos são para aqueles que tem grande contato e QI que muito mais que indicam...colocam la dentro!
As empresas pedem para enviar currículos para banco de dados, não dão feedback de envio ou nem mesmo uma opinião indicando onde deve melhorar ou investir tempo para crescer.
Sempre soubemos que para um piloto, alem de ter os mínimos de carteiras e cursos, precisamos ter horas..para "acumular" horas de voo e com isso conseguir a famosa "experiencia". Porem entramos em um outro balde, onde conseguir mais horas de voo? Pagando? Ou entrando nas enormes filas para instrutor onde formamos? Voar, de copiloto para um amigo que tenha avião ou que já voa para alguém? Ou ter coragem de inganar ao seu proprio currículo e a deus e CANETAR horas? Temos outra dificuldade tambem, se formamos em uma escola, teremos enorme dificuldades de conseguir ser instrutor em outra e com isso nosso funil fica cada vez mais apertado.
Então tentamos conseguir uma outra posição e ou emprego na área ou em qualquer outra para poder conseguir canhar um dinheiro e com isso investir nas renovações das carteias. Sim, anualmente o investimento com IFR E INVA, um investimento as cegas, pois precisamos acreditar que poderá surgir uma oportunidade e precisamos estar prontos, para concorrer com os outros colegas que estão na mesma situação, e após 1 ano, renovar PC/MLT/IFR/INVA onde o investimento é extremamente alto e novamente acreditando e tendo fé que logo mais vamos ser chamado para um trabalho ou alguém vai nos oferecer a grande oportunidade. Sem contar o ICAO!!! Que no meu ponto de vista sincero e claro, não ajuda em nada, pois fora do pais sim estão precisando de pilotos e copilotos tanto na executiva como na linha aérea, porem entra o fator CONVALIDAÇÃO onde praticamente para nos adaptar as regras de outro pais precisamos, refazer boa parte do treinamento(adicionar horas, cursos). Sim voar em outro lugar que tem outras regras é preciso estudar, compreender e adaptar o REGULAMENTO DE TRAFEGO AÉREO, mas as exigências para convalidar nós Low Hour Pilots, são enormes e caras..(Por favos, apenas meu ponto de vista e pelo que estou passando, não procuro definir como padrão ou base em nenhum conceito citado no texto acima).
A ICAO deveria ter padronizado a formação piloto facilitando assim a "imigração" de pilotos. Não deixar PC ANAC 150 HRS e PC FAA 200 hrs EASA sei la quantas horas..
Portanto ficamos hoje em 2019 aguardando mais de 15 anos de investimento para conseguir uma oportunidade! Uma grande companhia recentemente faliu (mais uma né), o mercado no brasil novamente encheu de excelentes aviadores, porem adiando nossa oportunidade!
Minha questão é que a aviação é linda! A profissão é fantástica, porem a realidade no brasil, não é boa. Amo ser aviador, não me vejo fazendo outra coisa e realmente não tenho mais o que fazer! Apenas ter fé! Apoiar as pessoas e sim incentivar nossos colegas que estão entrando para o meio. Mas jamais iludindo! Sempre sendo sinceros e verdadeiros, pois o investimento é alto e para alguns é garantido o retorno rápido, para outros...não.
Gostaria de pedir desculpas pela sinceridade, não queria de forma alguma estragar o post da nossa amiga. Apenas mostrar o lado dos pilotos desempregados e da realidade que passa.(acredito que muitos estão passando por uma situação parecida, espero ter mostrado para estes que não estão sozinhos e que estamos na luta e acreditando, não desistam)

M.O.C

Anônimo disse...

Não quero ofender ninguém, mas vejo muita gente chorando que não tem oportunidade. Falam que tem horas, carteiras e etc, mas aqui vai a realidade isto não é mais suficiente. É preciso ter faculdade, pós e etc. Existem muitas oportunidades sim, mas é para quem esta pronto! Vejam os salários praticados, hoje qualquer co-piloto ganha mais de 10k, vocês acham que um salário deste é para qualquer um que fez um cursinho de 8 meses (PP+PC) e algumas horinhas num mono-motor???
Dizem que QI é importante, bom se esta é a regra do jogo o que estão esperando? Network não é exclusivo da aviação...
Enfim, todos os anos centenas de pilotos são contratados pelas cias no Brasil, se vocês não tem esta oportunidade talvez o problema sejam vocês...

Anônimo disse...

Bem, como eu tinha falado.. com todo o respeito minhas palavras não são para ofender ninguém nem muito menos rebaixar. apenas apontei uma realidade.
Eu sou um que tem graduação, técnico, especialização e as licenças de piloto, tenho horas e estou desempregado...sim claro network porem..?!Assim como eu muitos estão prontos...(escrevi apenas um ponto de vista, não sobre mim!)
Concordo que centenas são contratados nunca disse o contrario! Me referi a dura realidade! O investimento, a luta e a paixão.
E não é chorar meu querido irmão, apenas um relato verdadeiro, sincero e com sentimentos. Eu quero é mais ver todos empregados, sem ódio, inveja, crise e se ajudando.

fique com deus irmão

M.O.C

Anônimo disse...

Claro, não falei que era fácil para ninguém, mesmo qualificado. Nosso mercado sofre muito com a economia e vira e meche uma empresa quebra o que dificulta. Mais saiba que se você estiver mesmo qualificado, uma hora o sol vai brilhar... É questão de fé e paciência, mas brilha para todos!
Boa sorte.

Anônimo disse...

Obrigado pelas palavras! Que deus olhe por nós e que oremos por todos!

M.O.C

Nivaldo disse...

O curso teórico de Piloto Privado/Comercial tem como pagar sim.
O que não cabe, são as horas de vôo para Piloto Privado de 40hs, e Piloto Comercial de 110 hs, sendo 90 visual e 20 IFR. E se for de Helicópteros prepara o bolso pq são mais caras as aulas de vôo.